capa3cnc1A III Conferência Nacional de Cultura (CNC), aberta na quarta-feira (27), e que se encerra neste domingo (1º), em Brasília, teve seu primeiro dia de debates em grupos temáticos, nesta sexta-feira, envolvendo os cerca de 1,5 mil participantes.

O novo modelo de mediação das discussões privilegia a participação de delegados, tendo apenas um painel de seminário. A estrutura de Grupos de Trabalho (GT) já é encarada pelos conferencistas como um “caminho sem volta”.

A nova metodologia, aprovada pela Plenária Nacional na quinta-feira (28), restringiu a programação de seminários e de expositores – comuns em conferências –, reservando dois dias para as discussões em GTs, na seguinte logística: para debater cada um dos 16 sub-eixos, hoje (29), e os quatro eixos temáticos, sábado (30), quando serão definidas as 64 diretrizes para as políticas públicas culturais. A Plenária Final, no domingo pela manhã, será espaço para a votação das 20 proposições prioritárias.

A metodologia foi proposta pelo Comitê Executivo da III CNC. Davy Alexandrisky, conselheiro Nacional de Políticas Culturais, representante da sociedade civil e delegado nato dessa Conferência, além de defensor da proposição, comemora os resultados parciais e fala em “espetáculo participativo”. Leia mais.